Poder e Justiça

Câmara de Goiânia adere a campanha global pelo fim da violência de gênero

(Foto: Divulgação)
Iniciativa recebeu destaque nas redes sociais da Organização das Nações Unidas

Desde o último dia 23, a fachada da Câmara Municipal de Goiânia está iluminada com tons alaranjados em apoio à Campanha “Pinte o Seu Município de Laranja –  Pelo Fim da Violência Contra Mulheres e Meninas”, coordenada globalmente pela Organização das Nações Unidas para as Mulheres (ONU Mulheres). A iniciativa foi do presidente da Casa, o vereador Andrey Azeredo (PMDB), e recebeu destaque nas redes sociais da Organização mundial.

Com a iluminação, a Câmara entrou para o grupo de monumentos, prédios públicos e cartões-postais do País e do mundo que foram iluminados em adesão à iniciativa, como o Cristo Redentor (Rio de Janeiro – RJ) e o Elevador Lacerda (Salvador – BA). No ano passado, 105 países participaram da ação. No Brasil, a mobilização começou na segunda-feira, 20 de novembro, com o lema “Não deixar ninguém para trás: acabar com a violência contra as mulheres e meninas”.

 Não Vai Ter Psiu! 

Andrey Azeredo ressaltou que “tenho estudado muito a causa da igualdade de direitos entre os gêneros e o combate à violência contra as mulheres em todas as suas formas. Com os eventos da “Não Vai Ter Psiu!”, campanha de minha autoria criada para combater a violência e valorizar as mulheres, temos reunido e mobilizado autoridades, especialistas, estudantes e a sociedade para discutir com clareza e coragem as injustiças e crimes sofridos pelas mulheres, como preveni-los, combatê-los e acolher as vítimas.

Segundo o presidente, a iluminação laranja carrega um forte simbolismo e mostra o apoio e o comprometimento da Câmara com as causas femininas e com a luta por uma sociedade mais justa. No último dia 24, integrantes da equipe de Andrey Azeredo foram à Brasília participar do evento da campanha “Una-se pelo Fim da Violência Contra as Mulheres” que faz parte da ação de “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” no qual foi apresentado um estudo inédito no País sobre a violência de gênero no Nordeste brasileiro.

Democracia e igualdade 

“É com muita alegria que vejo a Câmara nessa luta universal junto com a ONU Mulheres e com tantas instituições parceiras pelo fim da violência de gênero. Não existe paz nem justiça social num mundo injusto e desigual e compete a cada um de nós fazer a sua parte. Não há democracia sem igualdade de direitos”, frisou Andrey, enfaticamente. Ele ainda exaltou o trabalho da ONU Mulheres: “Sou um admirador dessa instituição capitaneada no Brasil pela médica Nadine Gasman, uma cientista e ativista dos Direitos Humanos, brilhante profissional egressa de universidades como Harvard e Johns Hopkins que se dedica a lutar pelas mulheres de todo o planeta.” (Com Câmara Municipal de Goiânia)

Comente

Comentários